domingo, 7 de fevereiro de 2010

"Kneeling cat" cadeira e trapézio: quais as diferenças?

Oi pessoal!
Recebi o seguinte comentário da Patrícia de Portugal:

" Oi Silvia! Adorei você se mexendo hihih, inspira muito mais a vontade de praticar muito também.
Então Silvia, em um post anterior você falou sobre o Gato de Joelhos na Combo Chair, qual a principal diferença entre os dois? Este é mais fácil? São muito parecidos...."


Desta vez não vou dar a resposta de bandeja, vou repassar a pergunta para vocês: quais são as diferenças? Existe um mais fácil? Por que?
Vamos pensar juntos, observar as animações, experimentar nos estúdios e colocar nossas idéias nos comentários, ok?




Beijos, Silvia.

18 comentários:

Patricia Lobo disse...

Oi Silvia, ta muito engraçado ver os dois movimentos assim juntinhos hihi, pois é agora vc me pegou!!
Bem, na minha opinião acredito que a primeira diferença esta no apoio das mãos que na Chair é muito mais instável no início e final do exercício. No Trapézio também temos uma maior flexão da articulação do ombro quase a 180 graus. Acredito tambem que ambos enfatizam mais a flexão torácia do que lombar, o que seria diferente do Hamstring (era legal se vc colocasse um post sobre estes comparados ao Hamstring).
Acho que é só o que vejo nestes dois, o que vc acha fui bem heheh??
Beijos

Anônimo disse...

Ola! Concordo com a Patricia, pude notar nos meus alunos, que no trapezio devido a flexao dos ombros, eles sentem mais desconforto do que na chair. Eu acho que nao existe nem pior nem melhor, mas vivencias diferentes. Ambos os exercicios precisam de uma consciencia corporal mais elevada.
Legal vc fazer agente pensar sobre os exercicios...
Beijo
Ale

Thelma Guerra disse...

Olá, não sei muito dos equipamentos e nem pude treinar com meus clientes já que só fiz o curso do Mat, contudo faço bastante o gato com a bola e sem a bola e nisso já vejo bastante diferença; mas enfim, analisando a ilustração da para perceber que uma das grandes diferenças entre um e outro são as curvas da coluna, na chair na descida a lombar parece que se enrola um pouco menos já que para manter-se em equilibrio o bumbum vai para tras e no final do movimento a coluna neutra fica mais dificil contudo a região torácica pode ficar bem alongada.
Para uma pessoa com dor nos ombros creio que o mais indicado seria a chair já que no trapézio os braços esticados exigem bastante controle postural para evitar descarga de peso nos ombros.
Ambos exigem controle e equilidrio mas, devido ao maior apoio, no trapézio creio que fique bem mais fácil.
bjs

Andressa disse...

Olá Pessoal!

Concordo com o pessoal acima, mas acredito também que no trapézio seja mais "fácil" já que a base de apoio é bem maior. Na chair, exige-se mais do controle de centro, power house, devido ao maior exigência no equilíbrio do indivíduo.

Beijos pra todos!
PS.: Silvia, seu blog está cada dia melhor!

Silvia Gomes disse...

Estamos indo bem: pensando em ângulos de amplitude articular, base de suporte, mobilidade da coluna, equilíbrio.. que mais será que podemos levantar?
Alê está certíssima, não existe melhor e pior, são diferentes! Thelma, não importa se tem ou não vivência em aparelhos, os movimentos são os mesmos na bola, no solo. Apenas mudam os estímulos. É isso aí! Vamos pensar juntos a partir da experiência que temos! Beijos!

Jader disse...

olá galera está bonita a discussão, no meu ponto de vista na cadeira a menor superfície de apoio e o menor contato com o pedal fica mais dificil para estabilizar o quadril e evitar o balanço do mesmo, dificultando muitas vezes o alunos sentir a força a abdominal. Diferente do cadillac que conta com o apoio da canela e dos pes e a barra serve como guia durane todo o movimento... dando uma estabilidade bem maior. Acho que o exercício da cadeira pode ser uma evolução, qnd o aluno está mais conciente do seu movimento!!!
o blog esta excelente Sílvia

Renata Batista disse...

Nossa quantas observações interessantes! Tudo que já foi dito é bem coerente, o que o jader falou é interessante. Eu acho que no trapézio a dificuldade maior é justamente concentrar a força no centro, muitos alunos acabam deslocando esta para os ombros, tensionando os mesmos. Já na cadeira, se o aluno não tiver dificuldades (Ex.:tonturas), acho que fica mais fácil relaxar a região dos ombros e mobilizar a lombar, mas isso no meu "corpo", se tratando de movimentos, há muita variedade. bjs

Silvia Gomes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silvia Gomes disse...

Oi pessoal! Quantas coisas não é? Tão parecidos mas com vários elementos diferentes. Este é o ambiente de Pilates!
Uma questão que acho que aparece bastante nas discussões é o ângulo dos ombros: se observarmos bem em ambos chegamos praticamente a 180 graus de amplitude de flexão. No entanto, a descarga de peso é muito diferenciada. No trapézio temos a facilidade, como disse o Jáder, de ter a barra torre como guia durante todo o movimento, no entanto, as descargas de peso ficam distantes, as mãos vão parar lá longe dos joelhos desafiando muito a estabilidade da cintura escapular. É hora de lembrar que as barras sempre devem ser pensadas empurrando a articulação para dentro. Na cadeira, a chegada no pedal é bem desafiadora para a cintura pélvica e equilíbrio, mas depois que chegamos, fica mais clara a sensação do pedal nos dando assistência e permitindo um relaxamento da cintura escapular.
Como disse a Renata, cada corpo sentirá o exercício de uma maneira conforme suas dificuldades e facilidades. Beijos e ótima semana a todos!

Jamile disse...

Olá,Silvia!
Agora tô por aqui "oficialmente" seguidora do blog,antes de estar com vc já visitava,mas nos últimos dias estive aqui lendo de trás pra frente e de frente pra trás,rsrs...e é incrível sempre!Acrescenta demais no dia-a-dia de trabalho e sensações...
Bjoo!..Até segunda!Jamile...

GUGA ALAYON disse...

ficou ótimo aparecendo a sequência!
bjs

Sonia Gomes disse...

Obrigada Guga!
É um programinha novo.. essa internet não tem fim de recursos! Suas obras estão cada vez mais lindas.. cada vez mais apaixonantes, envolventes, diria até sensuais... E essa exposição na Pacaembú, sai ou não?
Estive no Rio duas vezes esses tempos, Fazia anos que não ia.. é demais não é? até mesmo sem um amor por lá..rsrsrs
Beijos.

Silvia Gomes disse...

Oi de novo Guga..rsrsrsrs estava colcoando uns acessórios no blog da minha mãe e acabei respondendo sua msg com o perfil dela. Beijo e obrigada pela visita.. sil.

Sonia Gomes disse...

Oi Jamile! Que bom que está aproveitando. Acredito que associando as info do blog com o desenvolvimento prático no seu corpo você vai fazer grandes avanços! Bem vinda! Beijos e até segunda.

Vitor Salvador-BA disse...

Olá silvia, estou começando o curso de pilates agora, estou no segundo modulo e adorei teu blog!!!Muito bom, consegui tirar varias duvidas!
Grande abraço
Axé

Silvia Gomes disse...

Oi Vítor, que bom! Esse é o objetivo do blog: auxiliar os professores de Pilates compartilhando conhecimento! Fique à vontade, o blog é nosso! Beijo, Silvia.

Carol Dias disse...

Oi Silvia. Muito legal a discussão. Outras devem surgir, sobre outros exercícios. Vamos nos habituar a falar sobre todos eles aqui a fim de melhorar a nossa prática. Utilizo muito estes exercícios citados aqui e noto que a dificuldade da maioria dos alunos é mesmo na cadeira, justamente pelo fato da barra auxiliar a direção do movimento. Beijos.

Silvia Gomes disse...

OI Carol. Que bom que gostou da discussão ainda que eu nã tenha entendido muito bem a dificuldade dos seus alunos. Não ficou muit claro.. você explica de novo?
Sobre as postagens existem dois caminhos para surgirem as postagens: minhas inspirações e inquietações e as dúvidas dos leitores. Me conte as suas, dê exemplos de exercícios e me fale sobre as dúvidas que você gostaria de discutir com os colegas.
Beijos, Silvia.

Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Mulher, mãe, professora de Ed. Física, instrutora de Pilates, uma apaixonada pelo movimento: o meu, o seu, o de todos nós, o de todas as coisas..