quarta-feira, 21 de julho de 2010

Movimento não tem dono!

Hoje eu estava orientando algumas pessoas em sessões de fotos do nosso assunto preferido. Na realidade estou dando uma assessoria para uma edição que será publicada pela mesma editora que publica a Revista Oficial de Pilates, a Editora On LIne. Será chamado “O Grande Livro de Pilates”.

O livro terá seu conteúdo composto por vários olhares, pois cada profissional está sendo solicitado a selecionar cerca de 4 ou 5 exercícios em um determinado aparelho.
Essa diversidade me deu a oportunidade de entrar em contato com diversos profissionais: fisioterapeutas, bailarinos, professores de Educação Física e, entrando também em campo, Terapeutas Ocupacionais.

Eu ADORO essa diversidade!

Fiz faculdade de Terapia Ocupacional por dois anos na USP, nos idos de mil novecentos e oitenta e argolinhas e, quando fui para a Educação Física na UNICAMP, nem precisei passar perto do laboratório de Anatomia. Tinha tido durante um ano, três tarde inteiras de Anato por semana, em laboratório, e mais 6 meses de Neuroanatomia, também em laboratório. Consegui equivalência imediata.
Eu gosto dessa idéia de que o Pilates cria uma zona comum de trabalho aonde a interdisciplinaridade pode acontecer de maneira extremamente intensa e enriquecedora.
O Método Pilates é uma ferramenta que carrega em si uma mescla de conhecimentos. Joseph Pilates estudou Anatomia, Fisiologia, se inspirou em movimentos da Yoga, Artes Marciais, trabalhou intensamente com bailarinos.

Na sessão de fotos de hoje uma moça me viu executando um exercício e disse: “ Isso é Ballet !“, no que eu respondi – “Movimento não tem dono”.
Tem uma cena no filme O Carteiro e o Poeta, em que o poeta Pablo Neruda, surpreendido com o carteiro por este ter utilizado uma de suas poesias com a namorada, lhe diz: “ Essa poesia é minha!”

No que o carteiro retruca: “ Poesia não tem dono, poesia é de quem precisa dela.”
Quando damos um chute no ar não estamos, necessariamente, lutando Karatê, estamos flexionando o quadril e estendendo a perna no ar.

Quando fazemos um gesto fluido não estamos fazendo Ballet, estamos nos movendo de maneira organizada e harmônica.

É assim que eu vejo o movimento, sem dono, de quem precisar dele, de quem executá-lo.
De certa forma o Pilates também: ferramenta preciosa que deve ser estudada, praticada e utilizada com critério, por todos aqueles que tenham base e competência para tal.

Sei que o assunto é um tanto polêmico, o que vocês acham?

Beijo, Silvia.

22 comentários:

dayse disse...

oi tia! acho que este é meu primeiro comentário aqui... parabéns! o blog tá lindo!

Bela postagem como sempre! Também acredito que movimento não tem dono, mas espero sim que se tenha bom senso e conhecimento técnico para passá-lo para seu aluno ou paciente.

Não gosto desta demarcação de territórios: isso é pilates, isso é fisio, isso é rpg..... os limites são tão tênues... As "richas" profissionais sim são mais marcadas...mas aí é outra história... guerra de méritos e egos.

O importante é que a técnica de movimento a ser utilizada, seja qual for , de que família for deve ser tratada como uma "ferramenta preciosa que deve ser estudada, praticada e utilizada com critério, por todos aqueles que tenham base e competência para tal" .

bjs
Dayse

Jamile disse...

Ei,Silvia!
É mto linda mesmo a oportunidade de reunir num livro de Pilates tantos profissionais diferentes...e assim gerar tanto bem-estar e saúde,espalhando por aí posturas mais organizadas e movimentos fluídos e harmônicos...
Como sua aluna "babona" q fica com os olhos brilhando,paralizada,qdo vê a colega de aula(Cíntia)se dedicar e executar um "teaser" lindamente...Espero de todo o coração q TODOS possam se beneficiar cada vez mais...sem a pequena "chatice" do "é meu,é meu",rs...
*em preces budistas,sempre qdo realizamos uma ação boa/virtuosa,devemos dedicar o mérito para q isso se multiplique cada vez mais...então...
Que suas ações se proliferem cada vez mais e q todos os seres possam se beneficiar!!
Bjoo Grande!!
Jamile

*ah!Comigo e com a Dayse comentando esse blog devia virar um chat...rsrsrs...:o)

Anônimo disse...

Nossa ja estou ansioso por este livro!!! Espero que tenha a mesma qualidade e riqueza de tecnica do seu trabalho. Esta faltando um livro assim aqui no brasil!
Admiro muito o seu trabalho e dedicacao pelo metodo!
Quando ficara pronto o livro?

Maira disse...

Oi Sílvia! Adorei o seu blog! É uma ótima maneira ferramenta para nos mantermos atualizados e trocarmos experiências. Parabéns pelo trabalho! Abraço.

Debora Cherubini disse...

Oi Silvia!! adorei o texto, nós somos trabalhadores do movimento. podemos explorar o movimento de várias maneiras e o PILATES nos permite essa imensa variedade,onde podemos promover muita informação o controle neuromuscular. Eu amo isso.
"MOVIMENTO É VIDA!!"
Bjus e abraços

Denise Carceroni disse...

Oi Silvia!

Se movimento tivesse dono o Pilates não existiria!
Quem cria polêmica sobre o assunto precisa rever seus conceitos.
Parabéns pelo post.

Um abraço

Profa. Esp. Denise Carceroni

Renata Batista disse...

hahaha o que eu acho: Polêmico!!!
O dono é o corpo que executou o movimento uai... muito interessante esse post! beijos!

Simone Ujvari Lourenço disse...

Olá Silvia, acompanho sempre o seu blog. Gosto muito!!
É isso mesmo movimento não tem dono, bem como tb não existe só um profissional qualificado para o Pilates. Um bem-haja a todos os que gostam do movimento, e que percebem como é importante investir no conhecimento técnico e ter uma mente flexível.

Silvia Gomes disse...

Oi Tia Dayse e Jamile, bem vindas sempre! Fico feliz que, além de compartilharmos os mesmos pensamentos, façamos isso também em público. Beijos as duas, tia Sil.

Silvia Gomes disse...

Oi Anônimo, na verdade estou apenas dando uma assessoria técnica. O "livro" será vendido nas bancas e é uma publicação da Editora online com a contribuição mista de muitos professores. Mas com certeza ficará bacana! Acredito que saia ainda este ano mas, com certeza, no final dele! Beijo, obrigada por participar.

Silvia Gomes disse...

Oi Maira, fique sempre à vontade. O blog é nosso! Beijo.

Silvia Gomes disse...

Débora e Denise: obrigada pela paticipação! Somos mesmo trabalhadoras do movimento e concordo: quem quer impor limites deve rever seus conceitos! Beijo as duas.

Silvia Gomes disse...

Conhecimento técnico + mente flexível! Perfeito! Beijos Simone!

Diogo disse...

Mas que belo post este seu!
Infelizmente as pessoas de mente aberta como a sua são raras atualmente. Está uma luta feia entre os conselhos de Ed. fisica e fisioterapia. Sendo que o Cref baixou uma portaria dizendo que apenas Ed. fisicos são capacitados a ministrar pilates em academias. Sendo assim, nem o próprio Joe Pilates poderia realizar isto! Ele não registrou o metodo, deixou sua obra para o mundo!

O pilates é de ninguem e é de todos! Mas deve ser estudado ao extremo para ser ministrado com exatidão.

Abraços e sucesso!

Aninha disse...

Silvia, parabéns pelo blog e por suas sábias palavras nesse post. Movimento é liberdade, não tem amarras, nem donos. E a diversidade abrilhanta cada vez nosso trabalho.
Beijo

Silvia Gomes disse...

Oi Diogo, aos pouquinhos a gente vai contribuindo para a expansão e conexão das mentes. Afinal conhecimento acumulado, limitado, perde sua razão de ser. Conhecimento só é bom quando compartilhado!
Obrigada pela participação, beijo.

Silvia Gomes disse...

Oi Aninha, concordo plenamente. De amarras bastam as internas, que já não são fáceis de afrouxar.. beijo!

Sonia Gomes disse...

Adorei esse título e a postagem.

Andrea Kao disse...

O dia que movimento tiver um dono, peça para ele parar a Terra e dizer que a inércia não existe!

Fácil falar, né?!

Se até o bater de asas de uma borboleta pode provocar um tsuname no outro lado do mundo... Imagina a força de um pensamento?!

Sem limites para criatividade nem a imaginação... Apenas controle sobre as ações!!! E bom senso sempre!!!

Parabéns mais uma vez!!! Adoro o jeito como expõem os assuntos. É muita facilidade!!! =)

Silvia Gomes disse...

Obrigada mãe, beijos!

Silvia Gomes disse...

Oi Andrea, obrigada! É a cabeça que fica movimentando também, pensando e antenada com tudo... aí vou compartilhando com vocês! Sorte que tenho vossos olhos e mentes para me acompanhar! Beijos!

Fernanda Luiza disse...

Silvia fico sempre supresa pela maneira com que você escreve, quase poesia e sempre de forma esclarecedora e justa. Eu concordo com a interdisciplinaridade do Método! E seu texto deveria ser mais divulgado, para ver se abre a cabeça desse povo territorialista que parece cachorro, fazendo xixi em volta de termos para demarcar. Sexta passada aconteceu uma coisa no meu consultório de deixar qualquer um chateado, triste, bravo, invadido, uma pessoa ligou se passando por uma possível aluna interessada em pilates e começou a desferir perguntas e conclusões de forma ameaçadora e desrrespeitosa, "ah então você trabalha com pilates mas ai não é academia? é consutório de fisioterapia? ah então você trabalha fortalecimento, condicionamento, mas você é fisioterapeuta?", quando entendi oque ela queria, queria dizer que eu fisioterapeuta estava trabalhando com pilates e não podia, uma outra profissional com essa cabeça pequena! E eu mantive o tom da boa educação e conversei até a pessoa decidir desligar. Meu consultório é um local pequeno, sou uma agulha no palheiro, dentre grandes empresas que trabalham com pilates hoje em dia, oque uma pessoa abusada dessa pensa!? Inconcebível! Depois que desliguei como em todas a situações e como sou uma pessoa normal, pensei em mil coisas que deveria ter dito, "sim meu amor passe aqui que eu vou passar para seu nome meu estúdio já que você tem outra formação que eu não possuo" ou então, "calma, não posso falar agora, estou fechado as portas do meu estabelecimento, não quero mesmo mais pagar aluguel de onde moro, posso morar na rua"... E de tanto pensar cheguei a conclusão, os profissionais que são contra a interdisciplinaridade do método
não tem pensamento crítico, não tem noção de que isso é o trabalho, o provedor de sustento de milhares de pessoas. Enfim, pronto falei, fiquei extremamente aborrecida!

Admiro seu trabalho e venho acompanhando de longe, você é das pessoas que tem coragem de levantar bandeira e não "partido", obrigada!

Um grande abraço.

Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Mulher, mãe, professora de Ed. Física, instrutora de Pilates, uma apaixonada pelo movimento: o meu, o seu, o de todos nós, o de todas as coisas..