segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Exercícios abdominais: repensando a prática.

Olá pessoal!

Acredito que parte de vocês já esteja antenado com os questionamentos feitos por Blandine Calais a respeito dos abdominais, que se concretizam no livro Abdos Sans Risque, originalmente em francês e, posteriormente, em espanhol o Abdominales Sin Riesgo, pela Liebre de Marzo.

São vários os pontos levantados pela autora e várias as sugestões que ela propõe para tornar a pratica mais segura.

Um das primeiras coisas que Blandine nos faz pensar é que o tronco é um volume que está subdividido em duas regiões pelo grande músculos diafragma: a parte superior seria uma parte mais aérea, local de trocas gasosas, sede dos pulmões e coração e a parte de baixo, o abdome, o grande aquário de contenção das vísceras e órgãos pélvico-reprodutores.

A região superior é delimitada por uma espécie de cesta de ossos, as costelas, fixas nas vértebras e esterno, que formam a caixa torácica. A região inferior , por sua vez, é contida pela pelve e pela musculatura abdominal que ali se posiciona em diferentes camadas e direções formando essa capa contrátil de contenção.

Esse posicionamentov multidirecional permite uma incrível gama de movimentos do tronco geralmente em oposições ou rotações. É difícil imaginar algum movimento humano que não inclua uma pequena rotação. Ainda que algumas coisas sejam feitas de forma simétrica, ainda assim são intercaladas por rotações.

Isso acontece de forma muito natural e promove um constante deslizamento entre as camadas abdominais através de suas aponeuroses e mantém , desta forma, os tecidos irrigados, oxigenados, nutridos.

A idéia dos abdominais executados de forma isométrica, por exemplo, como uma sequência longa de Single Leg Strech, Double Leg Strech, Single Straight Leg Strech, seriam questionáveis em termos de saúde dos próprios tecidos, por promoverem uma contração sem deslizamento de tecidos, com constrição dos vasos e conseqüente acúmulo de substancias tóxicas.
Vale pensar também que, desde que o ambiente de Pilates pretende ser funcional, em que situações cotidianas mantemos o abdome contraído e, ainda mais, com o tronco em flexão?



Uploaded with ImageShack.us
Nesse caso a idéia de fazer movimentos que movam o tronco de forma multidirecional faz com que as camadas musculares revezem suas atuações contraindo-se de forma alternada , o que é muito mais funcional.

O movimento da animação é chamado popularmente de círculo do sol, geralmente uma variação do Spine Strech Forward executado no trapézio com a barra torre. Nesse caso é uma adaptação para bola e que propõe uma variação dentro do repertório clássico desse aparato, já pensando em incorporar as idéias da Blandine sem ter que abrir mão de uma trabalho forte de abdominais com a bola.

Sei que dá um nó na cabeça, mas isso é bom por que nos coloca em movimento... mental!

O que vocês me dizem?

Abraço, Silvia.

15 comentários:

Denise Carceroni disse...

Oi Silvia,

Claro que essas reflexões fazem todo sentido, mas devem ser consideradas com o devido cuidado.

Acredito que não podemos esquecer, nunca, é que não existe exercício perfeito, assim como não existe exercício errado. Existem exercícios adequados para determinada pessoa, com determinado objetivo e em uma determinada situação.

Entra década, sai década, a execução de exercícios abdominais é colocada em xeque. Veja que alguns exercícios isométricos que você cita foram largamente usados nas décadas de 60 e 70, terminantemente proibidos nas décadas de 80 e 90 e voltaram a serem usados com a disseminação da prática do pilates no Brasil, sempre com base em estudos considerados válidos para época.

No seu texto você toca em um ponto fundamental, mas que carece de compreensão pela maioria dos profissionais. É preciso considerar a funcionalidade do movimento e para tal além de todo o conhecimento técnico é preciso conhecer quem irá executá-lo. Essa é a chave para a montagem de qualquer programa de treinamento.

Excelente texto! Estava carente de uma leitura assim!

Abraços

Denise Carceroni

Silvia Gomes disse...

Oi Denise, bom te ver por aqui e fico contente de ter gostado do texto. Concordo com você, os exercícios devem ser selecionados, principalmente, de acordo com a necessidade de quem vai pratica-los. Beijo grande, Silvia,

Suzanna disse...

Venho aqui humildemente dizer que o que foi exposto pela Denise Carceroni não poderia ter sido melhor comentado. Realmente é super importante considerar a individualidade para a construção de um programa de exercícios ideal. O exercício abdominal em isometria pode sim causar acúmulos tóxicos no organismo levando a dor, mas se a pessoa é treinada e liberada para a realização de tal exercício não consigo ver nunhum mal na realização do mesmo.
Ótimo tópico para discussão.
Boa noite a todos.

Ju disse...

Oi Sílvia,

Tem previsão de cursos em BH em 2012??? Quero mto fazer seus cursos!!!

Abs.

Silvia Gomes disse...

Oi Suzanna grata pela participação aqui no nosso blog! Abraço

Silvia Gomes disse...

Oi Jú, não temos data para 2012 em BH ainda, mas vou tentar agendar algo. Abraço!

Patricia Italo Mentges disse...

Oi Silvia, mais uma vez me deparo com um excelente texto, que nos faz pensar, refletir...
A questão é que sempre passemos as informações pelo crivo do bom senso. Nó como agentes de saúde devemos sempre fazer assim, estudar, conhecer o que há de novo, repensar o antigo e fazer o que for melhor para nossos clientes, levando em conta a individualidade, as condições apresentadas no momento além dos objetivos a serem alcançados.
Parabéns! É sempre um prazer passar por aqui.
Beijos com carinho eum lindo 2012 para você, com muita luz, saúde, harmonia, realizações e mais sucesso!!!!

Marilo disse...

Oi Silvia Feliz Ano Novo!!! Adorei seu texto como sempre e com certeza se não tivesse fazendo os módulos do curso da Blandine não compreenderia com tanta facilidade oque vc colocou no texto e faz muito sentido agora!!! Preciso pensar mais no conteudo do curso pois tem material para se repensar em muitas coisas eu adorei!!!Bjssss
Marilo

Silvia Gomes disse...

Oi Patrícia, um 2012 fantástico pra você também. Obrigada pela participação e, com certeza, bom senso e foco na individualidade são elementos que sempre devem estar em mente. Beijo!

Silvia Gomes disse...

Oi Marilo, que bom que o curso acrescentou coisas para você. Também me fez pensar muitas coisas, mas acho que ele fará ainda mais sentido quando for complementado com os outros módulos... Beijão.

Janine disse...

Olá Silvia,
tudo bem? Gostaria de saber o que é necessário para o curso aqui em BH, espaço, número de alunos e todas as condições.
Aguardo contato,
Obrigada!
Janine Fontes

Silvia Gomes disse...

Oi Janine. recebi mais um e-mail hoje de pessoas em BH interessadas no curso. Por gentileza escreva para meu e-mail pessoal silgomes@terra.com.br para que eu te explique como funcionam os cursos. beijo, grata pelo interesse, Silvia.

Luana disse...

Oiii Sílvia,ótimo texto (como sempre). Sempre passo por aqui mas nunca escrevo. A reflexão sobre abdominais me fez refletir sobre as compensações ,principalmente de cervical que os alunos fazem na hora de realizar o exercício. Concordo com as colegas acima sobre a individualidade de cada aluno. E aproveito para expressar a minha felicidade de ser sua próxima aluna do curso de abril em Porto Alegre!Abraços e até!

Silvia Gomes disse...

Oi Luana, que bom que nos encontraremos em POA!! Sobre os abdominais, é verdade, esse clássico abcurl ou chest lift é muito difícil de ser realizado corretamente. A cervical é hiperflexível tanto em extensão quanto em extensão o que facilita muito que seja sobrecarregada nesses exercícios. Beijo grande!

Maria Lucia disse...

Silvia, gostei do teu blog.
Obrigada, boa sorte! bjs
Maria Lúcia

Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Mulher, mãe, professora de Ed. Física, instrutora de Pilates, uma apaixonada pelo movimento: o meu, o seu, o de todos nós, o de todas as coisas..