domingo, 20 de setembro de 2009

A pressão no estômago nas extensões.

Oi pessoal!

Hoje resolvi falar de uma situação comum que desde o início do meu trabalho com Pilates, sempre aparece como causadora de incômodo, mal estar, em alguns alunos. Estamos falando das extensões em decúbito ventral em situações de apoio elevado que nos leve à negativa - situação que tanto facilita esse exercício.
Por exemplo: extensão em DV no Barril (no Ladder ou no solo sobre a 1/2 lua) e mesmo na bola.

A queixa mecânica do aluno, quando aparece e atrapalha a execução do exercício, é a sensação de pressão no estômago.

Sentem a região super pesada e pressionada sobre o aparato muitas vezes impedindo a execução do exercício porque atrapalha até a respiração. O aluno se sente sufocado, com seu diafragma pressionado - o que de fato acontece. Afinal, o que está acontecendo?

O aluno está se desmanchando em cima do aparato, se debruçando sobre ele. Isso pode ser resolvido ativando o centro mantendo acionada a capa muscular sob a região, estabelecendo a relação entre costelas e bacia.

Vamos pensar na prática no ladder barrel:

1. Posicione-se com os pés na barra de madeira de maneira que você consiga descarregar o peso neles e no púbis e cristas ilíacas que se firmam no barril numa báscula posterior suave que acompanha o formato do barril

2. Flexione seu tronco por cima do barril e não se apoiando nele. Pense que você quer deixar a parte da frente da camiseta solta entre seu tronco (região do estômago) e barril. Isso quer dizer que você irá conectar seus abdominais. Podemos usar o paninho para estimular essa ação colocando-o na região do estômago e pedindo ao aluno que o mantenha solto.

3. Quando estender a coluna se espreguice para longe sem empurrar seu tronco para baixo. Imagine que você passa pela situação de estar paralelo ao chão como se fosse uma mesinha de aeroporto que abrisse de baixo para cima. Mantenha presente a relação entre costelas e bacia de forma que a parte anterior do tronco fique organizada antes de continuar a subir em extensão das vértebas. Mantenha ativa a pressão da bacia (púbis e crsitas ilíacas) no barril.

4. Quando descer novamente passe por cima do barril como se fizesse uma flexão torácica. Não se debruce/ desmanche sobre ele.




Sobre a respiração:

Vocês devem estar se perguntando que horas inspiro / expiro?

De maneira geral, seguindo os princípios da Polestar, a inspiração facilita a extensão. Para um aluno mais organizado, com algum tempo de janela, podemos sugerir que faça a extensão associada a inspiração por que ele vai manter seus centro organizado de qualquer maneira.

Para um iniciante pode ser que expirar na extensão facilite a conexão inicial do centro. Se optarmos pela inspiração + extensão no caso do iniciante, existe uma grande chance de que ele alavanque a lombar e que não compreenda a idéia da conexão do centro aliviando o peso do estômago.

Mas respiração não tem regras. Ela é um instrumento que deve ser utilizado, em geral, para facilitar o movimento. Observe seu aluno, peça que experimente de maneiras diversas para ver como se sente melhor.

É isso aí! Experimentem e me contem, beijo, silvia.

13 comentários:

Anônimo disse...

Oi Silvia!! Tenho visitado muito seu blog.
Sempre tenho muitas duvidas porque percebo que cada aluno mostra uma necessidade ou atitude durante um exercicio. E tanto nesse post quanto no "Flexoes laterais - qual perna colocar na frente?" Sua postura eh de que quando falamos de algo novo ou inicio para o aluno nao ha a obrigatoriedade de regras. Explico: agora deve inspirar e agora expira.....ou vc "deve" se posicionar com a outra perna na frente.
Eu ja vinha assumindo por conta propria essa postura (mais flexivel)e agora tenho encontrado de certa forma seu respaldo.
No curso que fiz pelo contrario sempre foi ressaltado que determinadas situacoes nao mudam.....ou nao podem mudar.....
O que eu aprendi no curso eh que a expiracao varia conforme o momento em que se faz a maior forca ou que vc expira na flexao (toracica, por exemplo).
Como tenho encontrado muita afinidade com sua linguagem e postura, acabo experimentando suas sugestoes e elas (obviamente) em quase sua totalidade dao certo.
Tenho diversos livros, artigos, DVDs (de diversas linhas), troco ideias com outros professores, e ao mesmo tempo que acho que estou bem preparada as vezes me pego correndo aqui vendo se vc vai trazer a luz para minhas duvidas.
As vezes me pego pensando se nao estou fazendo uma miscelania.
Procurei a formacao de uma escola muito bem conceituada de Curitiba com certificacao internacional, mas nas aulas preparatorias percebi que com excessao dos movimentos (alguns bem mais usados em fase iniciante do que deveriam na minha opniao pessoal) a individualidade, necessidades e fundamentos nao sao tao respeitados qto deveriam (Vi ocorrerem muitas compensacoes que nao foram corrigidas ou apontadas).
Fiz as aulas com dois professores diferentes com a mesma formacao.
Dai voltei a estaca zero em que me encontrava....
Sinceramente nao sei o que fazer.....
Nem queria colocar isso como comentario, mas nao tenho seu email....
Sera que pra variar vc consegue me dar uma luz.....rsrsrs!!!!
Grande beijo!

Silvia Gomes disse...

Oi .. é Renata?
Você está no melhor caminho possível: se questionando, com dúvidas, incertezas.. é isso mesmo que, na minha opinião, constrói um bom profissional, em qualquer área. Existem certas coisas que são básicas e, geralmente, podem ser até pensadas como regras, como o caso da expiração facilitar a ativação do centro no caso das alavancas - braços e pernas - que se afastam. Ou mesmo que a expiração facilita a flexão. Mas somos corpos vivos com histórias diferentes, construções diversas. E isso solicita de nós instrutores, guias no caminho do desenvolvimento da consciência corporal dos alunos, flexibilidade para tomar decisões.
Sobre suas aulas, procure praticar com outros professores de escolas diversas e sozinha também. Nós somos nosso melhor laboratório.. Um beijo grande e vamos crescendo juntas. Conte sempre comigo,Silvia.

Anônimo disse...

Oi Silvia!!! Muito obrigada, pela resposta...
Tenho seguido seus conselhos, praticado em mim mesma estou come'cando a praticar com outros professores...
Beijao e obrigada pela for'ca!!!
Cintia

Renata Batista disse...

Olá... Agora é a Renata, no post dos Joelhos tb era eu! Mas nem sempre será... rs

Comentando sobre a respiração... Cintia estamos mesmo indo no caminho certo! Tratando-se de Humanos e natureza quase nada é absoluto! Eu na fase inicial das aulas trabalho de forma mais conservadora, todos movimentos na fase experiratória, com exceções de alguns (abominais) faço in-ex. Acho que dá ao aluno mais concentração... Aos poucos vamos fazendo as modificações! Ahhh... que bom ter um "orkut profissa" assim! rs Boa semana Mestre!

Silvia Gomes disse...

Olá garotas! É um prazer tê-la por aqui pensando movimento, movimentando pensamentos... Beijos as duas , Silvia.

Cintia Marski disse...

Olá Renata e Silvia!! Nossa, me sinto tão estimulada quando venho aqui!
Renata concordo com vc na questão do "Blog super profissional"! Como é bom não é ????
Sobre a respiração, faço como a Renata comentou que vai de encontro com o que a Silvia também havia comentado que é o fato de ativar o centro de força durante as alavancas - dos braços e pernas que se afastam - ou na flexão de tronco.
Mas resumindo, que legal saber que estamos falando a mesma lingua e que principalmente estamos respeitando a individualidade biologica de nossos alunos...
Silvia, testei a dica do cabelo preso no preguinho e os ombros presos firmemente no chão e funcionou super bem..A dica verbal do guarda chuva abrindo e fechando também foi fantastica (sempre lembrando que os ombros desmancham para tras e pra baixo, rsrsr).
Sabe uma outra coisa que tem me solicitado atenção? Didáticas para descrever o ritmo da respiração (tem o video da respiração da terra que é fantático) e tenho usado no inicio, por exemplo, que o ar entra pelo nariz, enche os pulmões que se expandem lateralmente (costelas) "alcançam" ou "alimentam" o pubis de ar e voltam trazendo todo aquele ar velho pra fora, baixando as costelas e tal.....tem funcionado....e tanto a ins quanto a ex tem sido mais longas profundas e eficientes.....
Os próprios alunos tem comentado que sentem muito mais o abdomen, legal né?
Renata obrigada pela atenção e Silvia como sempre obrigadissíma pela acolhida!!
Bjs!!!
Cintia

Silvia Gomes disse...

Sugestão: aproveite essa idéia bacana do ar que vai até o púbis na ins e quando for expirar, jogando fora o ar "usado", inicie esta ação pelos isquios, púbis, coccix que se aproximam, ânus que eleva.. Beijo, silvia.

Anônimo disse...

Meninas e Mestre Silvia,eu estou visitando o blog a pouco tempo e estou maravilhada pq as vezes eu acho q é só comigo q aparecem duvidas e os temas e comentários estão me fazendo eu chegar na conclusão de q eu estou na mesma sintonia de vcs! Adorei!
Obrigada Mestre!
Beijão.

Silvia Gomes disse...

Que ótimo! Quanto mais sintonizarmos, coisas melhores vamos gerar para nossos alunos.Beijos.
PS Quem escreve?

Talita Maluf disse...

Oi Silvia!
Quem escreve é a Talita Maluf, de Barretos-SP.
Beijão.

Silvia Gomes disse...

Oi Talita...um beijo!

Daniele disse...

Olá Silvia!
Quero lhe parabenizer pelo blog! Sou instrutora de Pilates há 2 anos, leio muito à respeito do método e quase sempre dou uma passada por aqui para ler algo.
Seus post são muito produtivos, e trazem mesmo pra gente o dia a dia de um studio! Sempre procuro o melhor para meus alunos e teu blog tem me ajudado muitas vezes!
Parabéns!

Silvia Gomes disse...

Oi Daniele, que bom que o blog tem sido proveitoso para você. É esse o objetivo dele. Fique à vontade, o blog é nosso. Você já é seguidora? Beijo, Silvia

Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Mulher, mãe, professora de Ed. Física, instrutora de Pilates, uma apaixonada pelo movimento: o meu, o seu, o de todos nós, o de todas as coisas..