domingo, 25 de outubro de 2009

Ladder barrel + barra torre = opção para facilitar a mobilização da coluna

Oi pessoal!

Não sei se com vocês também acontece de, por vezes, o barrilzão ficar se sentindo meio deprimido, meio esquecido no canto.
Ah claro!
Para alongar MMII ou dar uma gostosa deitada em DV ele é sempre lembrado.
Mas na hora de colocá-lo na roda com os outros equipamentos... nem sempre ele é convidado.

Hoje quero compartilhar com vocês uma opção de trabalho bem interessante apresentada no curso Coluna Viva por Isabela Moody (Physio Pilates). Ela reuniu e sistematizou muito bem vários exercícios que corriam meio soltos nos estúdios, além de criar novidades e variações.

A idéia é fazer um casamento entre o Ladder Barrel e a barra torre do trapézio ou 1/2 trapézio. Apesar de grandão, o barril é uma equipamento fácil de arrastar.
Coloque-o próximo ao trapézio, de frente para a barra torre, de maneira que você possa alcançá-la facilmente.

Posição inicial para flexão/extensão e gatos:
Apoie os pés na escada do barril enquanto descarrega o peso da bacia no arco do barril.
Este apoio da bacia deve ser com a descarga de peso no triângulo cristas ilíacas e púbis. É preciso que, sem apoiar as mãos em nada, você possa se manter com o corpo erguido (tronco alto, abdome fora do barril). Não por muito tempo, mas que essa posição esteja clara.
A parte anterior das coxas também devem estar firmes no barril como se fossem raízes externas sobre a terra.
Posição definida, alcance as mãos na barra torre e, antes de inicar os movimentos da coluna, faça um pouco de elevação e depressão de escápulas (mantendo o tronco paralelo ao solo), para compreender que, a partir da depressão o braço estendido continua a querer se aproximar do tronco que se ergue(bastante ação do tríceps). É como se o tronco e o braço fosses hastes de um compasso que querem fechar ou abrir, mas sempre com resistência. Deixe sua axila ativa e seu pescoço longo e solto.

Lembre-se que a intenção não é empurrá-la mas receber dela suporte, assistência lembram-se da postagem das relação das barras do estúdio com os MMSS?).

Pode-se inspirar indo para a extensão mantendo firme o púbis no barril enquanto desliza o cóccix para dentro em direção a ele, ativando o assoalho pélvico. Desta forma o sacro ficará mais enraizado e permitirá que a coluna se espreguice com espaços entre as vértebras e sem sobrecarga excessiva para a musculatura global da lombar (mais trabalho de musculatura profunda, intervertebral).

Quando descer para a flexão, lembre-se de organizar seu centro mantendo uma relação entre as costelas e cristas ilíacas. Desta forma não haverá sensação de peso no estômago.

A partir desta movimentação inicial, comece a brincar: suba em extensão e mergulhe em flexão já subindo novamente em extensão como se fosse um golfinho.

Experimente também o movimento oposto: suba em flexão e desça fazendo a extensão da coluna. Lembre-se que a cabeça deve acompanhar o movimento como se fosse uma última (ou primeira) vértebra da coluna.

Mais uma sugestão na mesma situação são as flexões laterais. Ficam aí as imagens como sugestão.

Experimentem e tragam idéias para compartilharmos! Beijo, Silvia.




Ah! Essa postagem vai em homenagem a minha amiga Cintia (que conheci através daqui do blog) e que andava meio brigada com o barril! rsrsr

6 comentários:

Cintia Marski disse...

Oi Silvia!!! adorei....vou colocar em prática pra ver se voltamos a ser amigos!!! rsrsrs...
Bjs e obrigada pela dica.

Renata Batista disse...

Blogueiras de Plantão... Cintia! rs

Brincadeira a parte, a sugestão é maravilhosa, não vou me esquecer, qd tiver um o barrilzão!

Carol Dias disse...

Boas sugstões mesmo Silvia. A segunda vai favorecer aos alunos que não conseguem se manter tão alinhados no barrel em decubito lateral para as lateralizações. Tenho tido esta dificuldade com alguns e vai ser mais fácil para eles agora com a barra torre. Bjos

Silvia Gomes disse...

Oi Carol! Realmente as flexões laterais são as mais difíceis de executar.. e de ensinar! Pedir ao aluno que erga o olhar e a cabeça são dicas que funcionam bastante nas minha aulas. Costumo dizer que é um exercício para fazer beeem metidão, "se achando".. Beijos.

Silvia Gomes disse...

Oi garotas.. experimentem! Renata, uma meia lua em cima de uma caixa da Reformer engana bem! Dá pra brincar! Beijos.

Anônimo disse...

Silvia... estou abrindo meu estúdio em Uberlândia e tenho acompanhado seu trabalho... como boa experiente na area qual marca/fornecedor de estúdio vc me indicaria?
meu msn:leticiaferreira_18@hotmail.com

Desde já,
Mto obrigada
Leticia F. Strack

Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Mulher, mãe, professora de Ed. Física, instrutora de Pilates, uma apaixonada pelo movimento: o meu, o seu, o de todos nós, o de todas as coisas..