quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Sentar-se bem.

Na última postagem falamos um pouco sobre estar em pé buscando uma postura bacana de maneira suave, que permita espaço articular, peito e costas amplos e ombros relaxados.
As dicas foram para a parte alta do corpo, para a cabeça que decola como um cabide que seguramos pelo gancho enquanto os braços pendem pesados, largados como mangas para baixo.

São imagens direcionadas à canoa da cintura escapular e o pescoço/cabeça flutuantes dentro dela..

Sentar-se bem chama a atenção para a outra cintura, a pélvica.

É claro que a idéia da cabeça balão, decolante e os ombros macios, derretendo, suaves deve permanecer.
Mas como nos posicionarmos na cadeira, como desacarregar o peso do tronco sobre o assento? Em que parte da bacia (também conhecida como pelve ou até quadris) devemos nos apoiar em relação ao assento para buscarmos um sentar mais adequado?
Acredito que a maioria saiba, ou já tenho escutado, a expressão sentar nos ísquios.
E são eles mesmos que devemos buscar para sentar-nos sobre.
Os ísquios (em inglês sitz bones - ossos de sentar) são a denominação de uma parte desse grande osso que é a bacia.

Experimentando: Sente-se sobre uma superfície firme, apoie os pés no solo e afaste um pouco as pernas (para liberar a articulação coxo-femural). Mova seu peso gentilmente para frente e para trás, de um lado para o outro e procure encontrar as duas saliências ósseas que recebem o peso, percebendo as mudanças de pressão sobre elas. Coloque uma mão de cada vez e solte o peso sobre ela.
Você está segurando seus ísquios.

Procure encontrar o local destes ossos em que você se considere justamente no centro deste apoio. Pare aí, respire, mande a cabeça para o teto, relaxe os ombros.

É exatamente esta a melhor posição para sentar-se. Quando digo melhor, ou mais adequada, significa que, de maneira geral, estar aí leva a coluna para uma posição neutra onde há o melhor posicionamento dos discos (articulações intervertebrais) para absorção de impacto e pressão.
Mais favorável também em relação aos ligamentos e músculos da região (zona intersegmentar).

Experimente, vez por outra, buscar esta posição, respirar nela, fazer um pouco de cabeça ventilador (vide postagem Nuvens nos ombros...). Crie o hábito de vivenciar esta posição, passar algum tempo nela.

Experimentem e me contem. Beijo.
Ah! A imagem acima é do livro Desplegandose , de Elfriede Hengstenberg, ed. Los Libros de la Liebre de Marzo.


Minha foto
Sampa, SP, Brazil
Mulher, mãe, professora de Ed. Física, instrutora de Pilates, uma apaixonada pelo movimento: o meu, o seu, o de todos nós, o de todas as coisas..